• +55 (31) 2565-2005 | +55 (31) 9 9342-0024
    comercial@casadasvalvulasmg.com.br

Indústria alimentícia: melhores válvulas para aplicação no setor

Indústria alimentícia: melhores válvulas para aplicação no setor

A indústria alimentícia é uma das mais rigorosas, por abranger questões como condições sanitárias, temperatura adequada, armazenamento e fatores que podem influenciar diretamente no resultado final – os produtos que chegarão à mesa do consumidor.

A fiscalização sobre a qualidade desse setor, que envolve normas específicas, é rígida. Em relação as válvulas, não é diferente. Embora existam muitas opções desses componentes para aplicações diversas, a escolha certa pode ajudar na questão custo-benefício de todo o processo.

Contudo, o tipo de válvula será escolhido sempre em função de sua aplicação e sua principal missão é controlar o fluido naquele processo e em condições específicas. Nesse aspecto, a temperatura é um ponto importante que, se for negligenciado, não só ocasionará a perda da eficiência, mas colocará em risco lotes inteiros do produto.

Além disso, a temperatura que as válvulas controlam aquecem os recipientes, eliminam bactérias existentes e, assim, protegem a integridade desses alimentos ou bebidas.

Portanto, conexões certas e de qualidade são vitais nesse processo industrial tão meticuloso. Acompanhe, nesse artigo, informações que o ajudarão a compreender essa afirmação.

Principais características de válvulas para o setor alimentício

Conexões desse setor precisam ser avaliadas em aspectos importantes, como:

  • tipo de fluido;
  • temperatura;
  • material de composição;
  • tipos de acionamento.

Contudo, as válvulas com mecanismo automático, usuais nesse setor, apresentam vantagens como a resposta previsível aos estímulos, o que significa que funcionam sempre da mesma maneira, sem surpresas, além de serem mais fáceis de trabalhar e dispensarem operação manual, evitando a exposição humana a perigos.

Entre as funcionalidades das válvulas da indústria alimentícia, podemos citar:

  • Controle de substratos e produtos finais;
  • Capacidade de dosagem de vapor (pressão interna);
  • Administração da pressão de ar comprimido em operações complexas;
  • Controle do nível em reservatórios ou tanques de água, precavendo-se de incêndios;
  • Monitoramento de vazamentos.

O mecanismo básico desses componentes ajusta o equilíbrio da operação, de maneira que, quando a temperatura estiver abaixo do ponto de ajuste propício, a válvula de resfriamento fechará e a de aquecimento abrirá. Já nas tubulações que exigem mais abrangência, duas ou mais válvulas serão utilizadas nesse processo.

Riscos na escolha errada de uma válvula

Muitos problemas de controle de temperatura em reatores e processos de alimentos e bebidas têm origem na má sintonização da válvula. Porém, nenhum ajuste será suficiente se esse componente de controle for de baixa qualidade.

Portanto, fazer uma escolha correta significa considerar a sua funcionalidade e qualidade. Só assim a conexão será segura e equilibrada.

Exemplos de escolha correta de válvulas

A válvula borboleta pode fornecer alta rangeabilidade, mas tem uma faixa de controle muito mais estreita em comparação aos modelos esfera ou globo. Válvulas, como as borboletas, são versáteis e têm a possibilidade de funcionar por acionadores manuais ou automáticos. Por esse motivo, são componentes muito utilizados na indústria alimentícia, assim como na farmacêutica e química.

Já uma válvula superdimensionada poderá proporcionar um desempenho mais lento, o que resulta em uma alta taxa de refluxo e custos de energia desnecessários para atender aos objetivos de pureza. Por outro lado, esse tipo pode não ser capaz de responder adequadamente ao processo, causando grandes oscilações na qualidade do produto.

No caso das válvulas esféricas, serão benéficas se implementadas, às aplicações, a sua combinação de alta capacidade e ampla faixa de controle.

Em operações contínuas, como destilação, as válvulas de refluxo ou de resfriamento podem fornecer resposta estável a perturbações de carga, bem como alterações na qualidade da alimentação.

Essas são algumas situações que definem a abrangência da escolha desse componente, relacionado a seu contexto e função.

A importância da qualidade

As válvulas usadas na indústria de alimentos e bebidas são divididas em dois grupos principais:

  • as que entram em contato direto com materiais alimentícios;
  • as que controlam vapor, líquidos químicos ou água.

O primeiro grupo segue diversas regulamentações e normas, como os padrões sanitários 3 A, FDA 21 CFR parte 177 e ASME BPE para equipamentos de bioprocessamento, assim como as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O interior da válvula, que fica em contato com o fluido, precisa evitar a captura de partículas de alimentos ou acúmulo de bactérias. Por isso, seu acabamento geralmente é especial e há frequente fiscalização. As do segundo grupo são relacionadas diretamente à funcionalidade.

Por esse motivo, é preciso fazer o diagnóstico das válvulas no momento da especificação da compra, com o intuito de garantir que o desempenho delas seja eficiente e que não mude ao longo do tempo. Nesse ponto, o aval de um especialista que identifique essas necessidades é crucial.

Sendo assim, contar com fabricantes de qualidade mundialmente reconhecida, com comercialização feita por quem tem a expertise de mercado, confere um processo bem-sucedido e seguro.

A Casa das Válvulas tem essa expertise. A empresa conta com profissionais aptos a participar desta seleção de válvulas e um portfólio abrangente para o setor de alimentos e bebidas, cumprindo as normas de fiscalização e exigências de funcionalidades técnicas. Entre em contato conosco e comprove.

Deixe uma resposta